Declaração conjunta da Convenção dos Nikkeis e Japoneses no Exterior

Categoria: 2015
Publicado em Quarta, 02 Dezembro 2015 16:13
Escrito por Célia Abe Oi

03A importância de pensar sobre o passado e repassar a história para a próxima geração. Este foi um dos itens levantados pela 56ª Convenção dos Nikkeis e Japoneses no Exterior realizada em Tóquio, de 27 a 29 de outubro último, ocasião em que se celebraram os 70 anos do final da Segunda Guerra Mundial.

A Convenção teve participação de 183 pessoas, representantes de 17 países, e integrou a comitiva brasileira o vice-presidente do Bunkyo, Osamu Matsuo.

A abertura solene do evento, tradicionalmente, conta com algum membro da Casa Imperial e de representantes diplomáticos de vários países. Desta feita, esteve presente ao evento a princesa Takamatsu, sendo que o embaixador do Brasil no Japão, André Correa do Lago, também prestigiou a convenção.

01“Esta é uma oportunidade para que as lideranças das associações possam estreitar relacionamento com representantes de outros países, bem como o relacionamento como representantes de vários setores do governo japonês”, destacou Matsuo sobre este evento anual. Lembrou ainda que, neste ano, a presidente Harumi Arashiro Goya tinha programado sua participação, mas não foi possível devido à visita do príncipe Akishino ao Brasil.

Matsuo conta que nos últimos anos, a participação das delegações do exterior vem se reduzindo devido a uma série de fatores, tais como a mudança das lideranças das entidades e o reflexo da crise financeira nos países em geral.

Entre as sugestões levantadas nas reuniões, lembra Matsuo, estava a proposta da adoção de um sistema de tanamoshi (ajuda financeira mútua) a ser instituída em cada entidade para viabilizar o custo da viagem do Japão dos interessados. “Seria uma espécie de caderneta de poupança”, destaca. Outro item foi o de que o governo japonês deveria se mostrar mais sensível em atender às reivindicações apresentadas.

Ao término do evento, os participantes emitiram um documento conjunto com a seguinte íntegra:

56ª Convenção dos Nikkeis e Japoneses no Exterior

Declaração de Propostas (FINAL)

Nós, representantes dos Nikkeis que residem no Japão e no exterior, discutimos sobre o tema geral “70 anos pós-guerra – História do Japão e da Sociedade Nikkei”, na 56ª Convenção dos Nikkeis e dos Japoneses no Exterior, no período de 27 a 29 de outubro de 2015, em Tóquio. O tema geral foi dividido em três sessões seguintes:

1- O Japão e a Sociedade Nikkei, 70 anos após a guerra
2- Avanço das empresas japonesas e a Sociedade Nikkei
3- 70 anos de aprendizado após a guerra e Mensagem ao mundo

Nós declaramos os seguintes 7 itens como resultado da presente Convenção:

1) O Nikkei no exterior, tomando como base as experiências dos 70 anos de pós-guerra, irá trabalhar duro para a transmissão do patrimônio produzido neste período e, ao mesmo tempo, empenhará para fortalecer o papel como ponte entre o Japão as outras regiões.

Durante a Segunda Guerra Mundial, nós, Nikkeis no exterior, passamos em condições extremamente graves devido aos conflitos entre nossos países de residência e o Japão. Após a guerra, no entanto, como resultado de nossos esforços, nós construímos uma posição firme como cidadãos de nossos país de residência. Nós entendemos que a Convenção dos Nikkeis e dos Japoneses no Exterior iniciou-se como uma expressão de gratidão para com os Nikkeis, que participaram em grande número nas atividades emergênciais da LARA* (Entidade publicamente reconhecida de ajuda emergêncial à Asia). Essas atividades ajudaram o Japão, país passava por séria escassez de alimentos e materiais no período logo após o fim da guerra.

Nós, neste ano, após 70 anos desde o fim da guerra, sentimos fortemente a importância de se pensar sobre o passado e repassar a história para a próxima geração. Um bom exemplo é a Indonésia, onde a segunda geração de Zanryu japonesa assumiu a liderança na gestão das associações de bem-estar social fundadas pela primeira geração e tem trabalhado duro para manter outros projetos, tais como escolas de língua japonesa e escolas especiais para crianças autistas. Por outro lado, também podemos ver a situação nas Filipinas, onde indivíduos foram separadas de seus pais, tornando-se incapaz de provar a sua identidade japonesa devido a perda de certificados. Eles ainda estão lutando por seu Koseki. Além disso, não devemos esquecer que, apesar de o Japão estar fornecendo assistência médica, existem mais de 1.000 residentes estrangeiros das primeira e segunda gerações que foram vítimas da bomba atômica.

Nós continuaremos a valorizar os laços que desfrutamos com o Japão, um país que tem vivido como uma nação pacifista, em vários campos tais como o social, o econômico e o cultural. Seremos a ponte entre o nosso país de residência e o Japão e iremos empenhar em fortalecer os laços de ambos os países. E ao mesmo tempo, manifestamos a importância de se preservar os patrimônios tangíveis e intangíveis que os nossos antepassados construíram no período de pós-guerra.

2) Desejamos assistência e a compreensão para com as Associações Nikkeis, que trabalham duro para a preservação da cultura e da língua japonesa.

Os "Festivais japoneses", realizada em vários países, envolvem todos os cidadãos da comunidade local, includindo também não-nikkeis. Nós desejamos que obtenha mais apoios e compreensão da sociedade japonesa e, em particular, do governo japonês. Estes eventos são organizados pela Associação Nikkei, o qual propaga a cultura japonesa no nível local.

A comunidade nikkei vem se emprenhado no ensino da língua japonesa em nível de ensino fundamental. No entanto, estamos também iniciando projetos em nível de ensino superior. Nas Filipinas, foi fundado o "Mindanao Kokusai Daigaku". No Brasil, em 2016, iniciará o curso de formação de instrutores de língua japonesa em parceria com universidades brasileiras.

3) Colaboraremos como parceiros para a expansão de empresas japonesas e esperamos que estas se aprofundem no Genchika (localização).

Pensamos que o genchika é fundamental para o firme estabelecimento e na manutenção da estabilidade administrativa das empresas japonesas que estão se expandindo no exterior.

Muitos dos países em que Nikkeis vivem são multi-étnicos. Em países que possuem longa história de imigração, os Nikkeis são reconhecidos tanto pelo Estado como pela população pela confiança e credibilidade adquirido ao longo do tempo.

Adquirimos o know-how necessário para a coexistência e a concorrencia em embientes multi-étnicos e isso consititui o nosso ponto forte. Muitos membros da comunidade também estudaram e trabalharam no Japão, adquirindo habilidades e experências de valor. Ficamos na expectiva de que as empresas japonesas farão uma avaliação do potêncial dos Nikkeis e que cooperarão conosco na capacidade de parceiro de negócios.

4) A juventude Nikkeis, com o aprendizado dos 70 anos do pós-guerra, se compromete em contribuir para a criação de uma nova ordem internacional.

Em 70 anos de pós-guerra, hasteando a bandeira de Nação Pacifista, o Japão conseguiu provar para o mundo que é possivel construir, pacificamente, uma nação se tornar economicamente próspera. Nós nikkeis, continuaremos a compartilhar, o Japão como modelo de Nação Pacifista, atraves de nosso network Nikkei.

A juventude nikkeis, esta cientes que entre o Japão e os países vizinhos, ainda hoje continua presente a desconfiança e ressentimento provindos da guerra. A juventude nikkeis pede que as partes envolvidas, continuem a buscar em boa fé uma solução que satisfaça todas as partes. A juventude Nikkei, na capacidade de cidadão, se compromete em se relacionar com cidadãos de países vizinhos com respeito, tolerância e solidariedade, promovendo a confiança mútua entre povos.

5) Manifestamos a necessidade de promover conscientização sobre o envelhecimento da comunidade Nikkei.

A comunidade Nikkei no exterior e no Japão está começando a sofrer os impactos do envelhecimento. Vamos trabalhar na averiguação de fatos e na manutenção de esquemas de ajuda mútua dentro da comunidade Nikkei. Também, manifestamos a necessidade de se promover a troca de experiências entre Japão e os países onde Nikkeis residem com o objetivo de aumentar o nível de conscietização com relação às questões que devem ser resolvidas.

6) Pedimos ao Governo Japones o reconhecimento da múltipla nacionalidade. Tambem pedimos ao Grupo JR a emissão do “Japan Rail Pass” as pessoas de multipla nacionalidade.

A Lei do Registro Civil japonês diz que “o cidadão japones que por livre escolha adquirir a nacionalidade estrangeira perderá a nacionalidade japonesa”. O Regulamento de Perda de Nacionalidade do Japão, infringe o direito da busca da dignidade e felicidade como cidadão japonês de muitos filhos de japoneses nascidos no exterior. Solicitamos ao governo o reconhecimento da multipla nacionalidade, abrindo os caminhos de escolha para as pessoas que desejam ter as duas cidadanias.

Solicitaremos tambem ao Grup JR, a emissão do “Japan Rail Pass” emitidos no exterior, aos nikkeis da segunda geração com multipla cidadania que desejam conhecer o Japão.

7) Propomos a simplificação do sistema de votos para japoneses residentes no exterior

Foi estabelecido em junho deste ano, a Revisão da Lei da Função Publica, rebaixando a idade de direito do voto para 18 anos. Já faz 15 anos que foi implantado o sistema de voto no exterior, e aproveitando a oportunidade, levantamos a proposta de 4 anos atrás, e continuaremos a requerer a melhoria. (1) Possibilidade de fazer o registro de eleitor automaticamente na Prefeitura (escritórios dos distritos), antes da pessoa sair do país. (2) Fazer a distribuição automática (envio por correio postal) a notificação de eleição aos eleitores registrados. (3) Introduzir o sistema de votação por fax nas representações diplomáticas ou o sistema de votação eletrônica simplificada, e etc.

Fim

*LARA (Licensed Agencies for Relief in Asia: Entidade publicamente reconhecida de Assistência Emergencial à Asia) = Entidade formada por 13 organizações sociais, religiosas e laborais dos Estados Unidos com o objeto de prover assistência emegercial à Asia.