pavilhaohome edificiohome museuhome kokushikan blibliotecaacervo bunkyonethome

Festa para os Condecorados do Governo Japonês

03Uma demonstração de reconhecimento para ser comemorada em conjunto com a família, amigos e membros da comunidade. Este foi o tom da cerimônia realizada na noite do dia 28 de janeiro último, no Salão Nobre do Bunkyo, uma co-promoção de 32 entidades nipo-brasileiras.

O evento, que reuniu perto de 150 pessoas, contou com as prestigiosas presenças do cônsul-geral adjunto Hiroaki Sano do Consulado Geral do Japão em São Paulo, dos deputados federais Junji Abe e Walter Ihoshi, deputado estadual Hélio Nishimoto e do vereador Aurélio Nomura.

04Os três homenageados foram: Akihiro Ikeda, condecorado com a Ordem do Sol Nascente, Raios de Ouro com Laço; Maurício de Sousa, com a Ordem do Sol Nascente, Raios de Ouro com Roseta, e Toyohiro Shimura, com a Ordem do Sol Nascente, Raios de Ouro e Prata.

“Gostaria de cumprimentar o senhor Ikeda, um sensei (professor) das relações econômicas Brasil-Japão”, iniciou o cônsul geral adjunto Sano, em suas palavras de saudação em nome do governo japonês. “Também, saúdo o senhor Maurício de Sousa, sensei das relações culturais Brasil-Japão e o senhor Shimura, sensei das relações regionais Brasil-japão e de melhoramento da comunidade nipo-brasileira”, continuou, ressaltando o desejo de que essa condecoração estimule a “transferência dessa experiência aos brasileiros e, sobretudo, aos jovens”.

05Akihiro Ikeda, em sua saudação, contou que chegou a São Paulo em 1958, vindo da região de Álvares Machado (Alta Sorocabana), e “nunca imaginou que, um dia, pudesse vir a receber tamanha honraria do governo japonês”.

De acordo com ele, esta condecoração “no final da jornada”, resulta do fato de “ter estudado em uma boa escola, ter tido bons colegas no trabalho e pelas circunstâncias que me permitiram participar dos momentos históricos no relacionamento Brasil-Japão”.

06Maurício de Sousa, após os agradecimentos pela condecoração, fez questão de destacar sua larga convivência, durante a infância, com os nipo-brasileiros. “Sempre admirei o sistema, os hábitos dessa colônia, sua honradez, a palavra empenhada, e é por isso também que acabei casando com uma nissei, a Alice”.

Ressaltou sua felicidade por ter tido a oportunidade de criar os mascotes do Centenário da Imigração Japonesa no Brasil, Tikara e Keika, acrescentando que “gostaria de continuar contribuindo para a aproximação dos dois países e das duas culturas”.

Ao final, fez um apelo. Contou que seus primeiros trabalhos em quadrinhos foram publicados na revista Coopercotia (editada pela Cooperativa Agrícola de Cotia) quando criou os personagens Hiroshi e Chico Bento, na década de 60. Esses exemplares foram perdidos num incêndio, justificou, ressaltando “gostaria muito de possuir em meus arquivos, meus primeiros trabalhos profissionais”.

07Toyohiro Shimura, que fez questão de alterar, em sua saudação, o japonês e o português, destacou a satisfação pela condecoração e homenagem, além da “honra de receber todos os amigos”.

Em seu discurso, lembrou que pautou sua atividade junto às entidades nipo-brasileiras aconselhado pelo pai, ao completar 21 anos de idade. “Trabalhe em prol da sociedade, da assistência social; me pediu na ocasião. E tenho tentado atuar da melhor forma possível”.

Durante a cerimônia, as acompanhantes dos condecorados foram homenageadas com um ramalhete.